CUIABÁ

CIDADES

Nova avenida levará nome de radialista em Cuiabá

Publicados

CIDADES

O prefeito Emanuel Pinheiro anunciou que irá homenagear o comunicador e ex-deputado federal Lino Rossi batizando com o seu nome um novo corredor de mobilidade urbana que será entregue à população cuiabana. Conforme relatado pelo chefe do Executivo municipal, a via já está em construção na região dos bairros Alvorada e Jardim Monte Líbano será nomeada como Sistema Viário Lino Rossi.

Com cerca de dois quilômetros de extensão, a via será responsável por ligar a Avenida República do Líbano a dois outros importantes pontos da cidade. Pelo primeiro trecho o condutor poderá chegar até a Avenida Dr. Hélio Ribeiro, na altura da rotatória da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). O segundo percurso permitirá o acesso à Avenida Historiador Rubens de Mendonça, saindo na lateral do supermercado Comper.

“Vamos dar o nome a esse local de Sistema Viário Lino Rossi. Quero fazer essa homenagem ao meu amigo. Lembro que quando falei dessa ideia para ele, ele vibrou, pediu que eu mostrasse esse projeto e isso me entusiasmou muito. Infelizmente, perdemos Lino no último dia de 2021 e ele não poderá ver isso sendo realizado. Mas, ele merece ao menos essa singela homenagem emprestando seu nome a um lugar que nos ajudou a sonhar”, disse Emanuel.

Leia Também:  Deputado admite ser vice e avalia que fusão DEM-PSL fortalece Mauro

Segundo o prefeito, o Sistema Viário Lino Rossi complementará a melhoria promovida com a entrega da Avenida Enio Luiz Caldart (antiga Avenida Síria), também na mesma região. “Vamos preencher esses vazios urbanos, integrando um ponto da cidade ao outro. O primeiro trecho desse sistema já está praticamente pronto, faltando apenas a calçada e iluminação, e em breve quaremos liberar sua utilização”, completa o gestor.

O vice-prefeito e secretário de Obras Públicas, José Roberto Stopa, destaca que a construção de todo o sistema viário é composta pela execução dos serviços de rede de drenagem de águas pluviais, pavimentação, meio-fio, calçada, sinalização viária vertical e horizontal, além de iluminação de LED. Para o segundo trecho, a previsão é de que a partir de março as maquinas passem a atuar no local.

“Esse segundo percurso demorou um pouco mais, por conta dos processos de desapropriação. Mas o secretário de Mobilidade Urbana, Juares Samaniego, está cuidando disso e até, no máximo, no mês de março essa etapa deve ser concluída. A partir disso, as maquinas da Secretaria de Obras já estarão no local, abrindo todo o trajeto que sairá na Avenida do CPA”, explica o vice-prefeito.

Leia Também:  TJ mantém presa advogada que contratou assassino de empresário

Lino Rossi faleceu no dia 31 de dezembro de 2021, aos 64 anos, por conta de um quadro de insuficiência respiratória aguda e hipotensão. Além de comunicador, com passagens marcantes em programas televisivos e também no rádio, Lino teve sua trajetória destacada ainda por importantes atuações na política mato-grossense, tanto como vereador por Cuiabá quanto como deputado federal.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CIDADES

Lobista acusa doleira de traição amorosa; veja prints

Publicados

em

Apontados pela Polícia Federal de serem membros do primeiro escalão da Organização Criminosa (Orcrim) que traficava cocaína entre Brasil e Europa, o lobista Rowles Magalhães e a doleira Nelma Kodama, investigados na Operação Descobrimento da Polícia Federal (PF) mantinham um relacionamento amoroso que ruiu com o tempo após o doleiro a acusar de traição.

No período de apenas 5 meses, entre junho e novembro de 2020, as mensagens demonstrando afeto trocadas entre o lobista e a doleira em meio às negociações deram lugar a uma série de acusações e ataques entre os agora ex-companheiros, como revelam mensagens anexados no inquérito da PF, ao qual o  teve acesso.

Durante as tratativas entre eles, era comum um se referir ao outro por “amor” e “vida”. No diálogo a seguir, do dia 07 de junho de 2020, Kodama e Rowles se comunicavam, via WhatsApp, sobre a logística de um transporte de drogas.

Nesse episódio, Nelma se dirige para uma outra casa (onde ela ficaria custodiada) localizada perto de sua residência e diz para Rowles: “Oi amor Acabei de chegar aqui na casa. E (é) bem perto de casa tá”. Na sequência, ela posta fotos do local e fala: “Amor só nós dois!! Cada coisa que já vivemos e estamos fazendo”.

Leia Também:  Câmera flagra ladrão armado roubando R$ 1 mil de mercado em MT

Kodama estava sob custódia, ou seja, presa, como garantia que o transporte dos entorpecentes negociados anteriormente seria feito conforme o combinado.  Segundo a PF, essa era uma prática comum a fim de assegurar a entrega das drogas.

Em menos de seis meses, a cumplicidade entre Rowles e Kodama ruiu e as mensagens carinhosas foram substituídas por acusações de uma suposta traição.

O desentendimento entre a dupla teve início após Rowles acusar Nelma de ter o traído quando ela negociou o envio de uma remessa de carga de drogas com André Luiz Santiago Eleutério, conhecido como Careca ou Negão, também citado no documento da PF como membro da Orcrim.

No dia 26 de novembro de 2020, Rowles conversou via ligação de voz com Nelma e acusando ela de “ter fudido com tudo”. Ela então o questiona: “Eu te roubei?”. “Se você combinou com o Careca e deu dinheiro para ele que caberia a mim, cê tomou de mim. Cê tomou de mim”, responde Rowles.

A partir desse episódio, a real intenção de Rowles era se desvencilhar do grupo criminoso e minar sua companheira Nelma, concluiu a Polícia Federal após a análise de diálogos entre Rowles e seu sócio, Ricardo Agostinho.

Leia Também:  Deputado sugere a integração de servidores do Socioeducativo e Penitenciário no Ciopaer

Rowles continua: “Quem fudeu foi você! Quem falou merda foi você! Quem tem que aguentar a pica é você e não eu. Ok? Quem, vamo começar, quem começou fudendo e roubando quem e que me pediu desculpa foi você. Você que me fudeu com o CARECA, aí depois quando você tomou no cu e você ficou nervosa, você surtou, não, cê surtou, falou bosta…”.

Segundo a PF, Rowles demonstrou a intenção de se desvencilhar do grupo criminoso e começou a minar Nelma. As ligações entre ele e Nelma foram repassadas para o seu sócio Ricardo Agostinho. Rowles planejava aplicar um golpe milionário na agora ex-companheira nas tratativas de transporte de drogas recebendo o dinheiro e não executando as viagens.

rowles-nelma2.jpg

 

Com informações: Gazeta Digital

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA