CUIABÁ

ECONOMIA

Abastecer com etanol já não compensa em nenhum estado brasileiro

Publicados

ECONOMIA

Abastecer com etanol já não compensa em nenhum estado brasileiro. O preço médio nacional é de R$ 5,81 – e para o combustível de cana-de-açúcar compensar mais, deve ter valor inferior a 70% da gasolina.

A gasolina também voltou a ficar mais cara na primeira quinzena de outubro. A alta foi de 1,96% na comparação com o mês anterior, segundo levantamento feito pela ValeCard, empresa especializada em gestão de frotas.

A maior alta foi registrada no Piauí, onde a gasolina ficou 2,88% mais cara. No Ceará, segundo estado com maior aumento, a alta foi de 2,77%. Já as menores altas ocorreram no Tocantins, com 1,14% de reajuste, e Acre, com 1,23%.Os dados levam em consideração cerca de 25 mil estabelecimentos credenciados pela ValeCard entre os dias 1° e 15 de outubro.

Nas capitais brasileiras, o valor médio da gasolina é de R$ 6,37, sendo que Teresina (PI) e Rio de Janeiro (RJ) registram os valores mais elevados: R$ 6.84 e R$ 6,78, respectivamente. Os menores preços médios estão em Macapá (AM) e São Paulo (SP), com R$ 5,81 e R$ 5,98, respectivamente.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Dólar cai para R$ 5,36 à espera de aumento na taxa Selic
Propaganda

ECONOMIA

Guedes: Temos confiança que cresceremos o dobro do que o FMI está prevendo

Publicados

em

Confiante na projeção de que o Brasil vai crescer 2,5% em 2022, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta quarta-feira, 13, que o Fundo Monetário Internacional (FMI) “vai errar de novo” ao estimar um avanço bem mais tímido do PIB brasileiro no ano que vem, de apenas 1,5%. Ele atribuiu o “erro” na estimativa ao “barulho político” em torno de medidas do governo e avanço das reformas.

Guedes participou de um evento promovido pelo Atlantic Council, em Washington (EUA). O ministro está na capital americana participando de reuniões do FMI e do Banco Mundial.

No ano passado, o Fundo chegou a prever queda de 9,1% no PIB por causa da pandemia de covid-19, mas o resultado foi menos negativo (recuo de 4,1%), graças a programas que garantiram transferências de renda a vulneráveis e manutenção de empregos.

Nas projeções para 2022, o FMI se soma a economistas que também esperam um crescimento mais tímido no ano que vem. Na mediana do Boletim Focus, coletado pelo Banco Central, a expectativa está em alta de 1,57%. A equipe econômica tem criticado as previsões.

Leia Também:  Mercado financeiro diz que inflação deve fechar o ano em 8,59%

“O FMI vai errar de novo, eles continuam fazendo isso. O crescimento será de mais de 2% em 2022”, disse Guedes. “Temos confiança que cresceremos o dobro do que o FMI está prevendo”, acrescentou o ministro em outro momento de sua fala. Para ele, o “erro” do FMI é explicado pelo “barulho político”. Guedes tem citado a expressão constantemente em suas falas públicas para tentar separar conflitos das medidas concretas. “Os perdedores continuam gritando.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA