CUIABÁ

POLÍCIA

PF mira contrabandistas de agrotóxicos que movimentaram R$ 154 mi em MT

Publicados

POLÍCIA

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (12) a Operação Mãe-Terra com objetivo é colher provas para a investigação  que  apurar a prática do crime de importação e comercialização ilegal de agrotóxicos de origem estrangeira. Quatro mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal de Sinop foram cumpridos em endereços residenciais e comercial localizados nos Municípios de Sorriso/MT e Lucas do Rio Verde/MT.

As investigações iniciaram a partir de denúncias que apontavam um dos suspeitos como um dos principais contrabandistas de agrotóxicos de Sorriso-MT e região.

Em fiscalizações realizadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento(Mapa)  foram identificados agrotóxicos ilegais em propriedades rurais atribuídas aos investigados.

Informações obtidas pelo COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) confirmaram a existência de grande movimentação bancária suspeita na conta dos investigados.

A Justiça  Federal autorizou a quebra de sigilo bancário e foi possível constatar que os suspeitos de comercializar fertilizantes ilegalmente importados movimentaram, em apenas dois anos, R$ 154 milhões, dos quais, grande parte, sem identificação de origem e destino para pessoas que já responderam pelo crime de transporte e uso ilegal de defensivos agrícolas.

Leia Também:  Operação desbarata quadrilha de traficantes em MT e Acre

O próximo passo da Polícia  Federal será determinar quem são os fornecedores nos países fronteiriços, a estrutura logística utilizada para o transporte e os destinatários.

Os suspeitos poderão responder pelos crimes previstos nos artigos 56 da Lei 9.605/98, com pena de 01 a 04 anos de reclusão, e multa, e art. 15 da Lei 7.802/89, com pena de 02 a 04 anos de reclusão,  multa, dentre outros crimes que serão apurados no curso das investigações.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍCIA

Golpista se passa por funcionário de banco e transfere R$ 52 mil de cliente

Publicados

em

A Polícia Civil de Mato Grosso, por meio da Delegacia de Repressão a Crimes Informáticos (DRCI), recuperou através de bloqueio bancário a quantia de R$ 47 mil subtraídos de uma vítima de estelionato praticado por meio eletrônico.

Na terça-feira (10.05), a vítima de 22 anos e moradora do município de Porto dos Gaúchos (663 km a médio norte de Cuiabá), registrou o boletim de ocorrência.

O comunicante informou que recebeu uma ligação de uma pessoa, a qual se identificou como sendo da Cooperativa Sicredi.

Na ligação o suspeito disse que haviam tentado acessar a conta bancária da vítima por um aparelho celular não cadastrado. Devido ao fato era necessário fazer uma atualização do cadastro de segurança.

A vítima acabou seguindo as orientações repassadas pelo golpista via telefone, e teve o acesso de sua conta bloqueada. Em seguida ela verificou que haviam realizados dois débitos de sua conta.

Uma das transferências foi no valor de R$ 49 mil, enviado para uma conta do mesmo banco. A segunda transferência no valor de R$ 3 mil, foi creditado em uma conta de outra instituição financeira.

Leia Também:  Bombas de 5 postos de combustíveis são lacradas por irregularidades na Grande Cuiabá

A vítima retornou a ligação para o número do telefone, mas não conseguiu contato. Foi quando percebeu que havia caído em um golpe de estelionato.

A DRCI foi acionada para dar apoio nas diligências, e conseguiu recuperar quase o valor total subtraído da vítima através de bloqueio bancário.

As investigações continuam visando identificar e prender o autor do crime.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA