CUIABÁ

SAÚDE

Covid-19 deixou 12 mil órfãos de até 6 anos no país, mostram cartórios

Publicados

SAÚDE

Ao menos 12.211 crianças de até seis anos de idade no Brasil ficaram órfãs de um dos pais vítimas da covid-19 entre 16 de março de 2020 e 24 de setembro deste ano. Segundo a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), 25,6% das crianças de até seis anos que perderam um dos pais na pandemia não tinham completado um ano.

Já 18,2% tinham um ano de idade; 18,2%, dois anos de idade; 14,5%, três anos; 11,4%, quatro anos; 7,8% tinham cinco anos e 2,5%, seis anos. São Paulo, Goiás, Rio de Janeiro, Ceará e Paraná foram os estados que mais registraram óbitos de pais com filhos nesta faixa etária.

Os dados foram levantados com base no cruzamento entre os CPFs dos pais nos registros de nascimentos e de óbitos feitos nos 7.645 cartórios de registro civil do país desde 2015, ano em que as unidades passaram a emitir o documento diretamente nas certidões de nascimento das crianças recém-nascidas em todo o território nacional.

Os números obtidos pela Arpen-Brasil, entidade que representa os cartórios de registro civil do Brasil e administra o Portal da Transparência, mostram que 223 pais morreram antes do nascimento de seus filhos, enquanto 64 crianças, até a idade de seis anos, perderam pai e mãe vítimas da covid-19.

“A base de dados dos cartórios tem auxiliado constantemente os poderes públicos, os laboratórios e os institutos de pesquisas a dimensionar o tamanho da covid-19 em nosso país e o fato de termos esta parceria com a Receita Federal para a emissão do CPF na certidão de nascimento dos recém-nascidos nos permitiu chegar a este número parcial, mas já impactante”, disse, em nota, o presidente da Arpen-Brasil, Gustavo Renato Fiscarelli.

Leia Também:  Embaixador da China confirma chegada do IFA para produção de vacinas

Rio de Janeiro

No estado do Rio de Janeiro, ao menos 774 crianças de até seis anos de idade ficaram órfãs de um dos pais vítimas da covid-19 entre 16 de março de 2020 e 24 de setembro deste ano. Os dados foram levantados com base no cruzamento entre os CPFs dos pais nos registros de nascimentos e de óbitos feitos nos 168 cartórios de registro civil do estado.

Segundo o levantamento, no estado do Rio, 23 pais faleceram antes do nascimento de seus filhos, enquanto cinco crianças, até a idade de seis anos, perderam pai e mãe vítimas da covid-19.

“As diversas parcerias firmadas pelo Registro Civil permitiram realizar esse levantamento, unindo a base de dados dos cartórios de registro civil, o que tem nos proporcionado dimensionar o tamanho do impacto da covid-19 no Rio de Janeiro. O resultado de levantamentos como esse indica caminhos para que os poderes públicos possam ser mais assertivos na resolução de questões que envolvem a cidadania e a dignidade daqueles que ficaram órfãos”, afirmou o presidente da Arpen/RJ, Humberto Costa.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Leitos para pacientes com Covid-19 são desativados

Publicados

em

Por

 

Os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes com Covid-19 na rede pública de Rondonópolis foram bloqueados e serão desativados. A Secretaria de Estado de Saúde também vai deixar de manter outros leitos na Santa Casa.

O motivo é que nas últimas semanas teve redução no número de internações nos leitos de UTI Covid na rede pública e, além disso, o estado pretende retomar as cirurgias eletivas neurológicas e cardíacas e precisa utilizar os leitos. A SES-MT orientou que se os leitos estiverem ocupados os pacientes devem ser mantidos nas unidades de terapia intensiva até que sejam liberados.

Os 10 leitos que estão sendo bloqueados estão no Hospital Regional de Rondonópolis e a SES também vai deixar de dar aporte financeiro para outros dez leitos que são custeados em parceria com o Ministério da Saúde na Santa Casa. Foram notificados: o escritório regional de saúde que faz a regulação desses pacientes, inclusive de toda região, também a Santa Casa e a Secretaria Municipal de Saúde.

Leia Também:  São Paulo procura 968 pessoas que podem ter tomado vacina vencida

Com essa redução de leitos de UTI Covid, Rondonópolis, que contava com 60 leitos, agora passa a ter 40 e parte deles para atender pacientes de toda região. Do dia 20 de janeiro deste ano, quando a primeira vacina contra à Covid-19 foi aplicada em Rondonópolis, até agora, mais de 242 mil doses já foram ofertadas aos moradores.

Atualmente, a cidade ultrapassou os 40% de imunização completa da população vacinável. Ou seja, pessoas que já tomaram as duas doses ou vacina de dose única. O reflexo disso já impacta diretamente no número de mortes pela doença no município, que caiu bastante.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA